Nos dias 11 e 12 de novembro, a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC), Seccional RN, com apoio Conselho Regional de Farmácia do RN (CRF-RN), realizou a 3ª Jornada Norte-riograndense de Análises Clínicas, em Natal. O evento contou com a presença de 167 profissionais e discutiu os temas mais atuais e relevante da área.

Confira a entrevista com a Presidente da Seccional RN da SBAC, drª. Tereza Neuma:

CRF-RN: Qual a importância de se realizar um evento como este no estado?

Drª Tereza: A importância maior está na atualização dos colegas e no incentivo que essa Jornada traz aos profissionais para que continuem essa constante renovação de conhecimento nas Análises Clínicas, pois muitas coisas novas estão ocorrendo, até muitas polêmicas de exames laboratoriais, e nós procuramos trazer professores que estão envolvidos com essas temáticas para esclarecer melhor casos como o que cogita o exame sem a necessidade do jejum de 12 horas. Tratamos ainda sobre a Doença de Chagas que ainda é uma preocupação aqui para o nosso estado e que, por isso, os profissionais devem se conscientizar em suas respectivas regiões e procurar pesquisar sobre a doença e os exames necessários nesses casos.

CRF-RN: Como foi essa interação entre palestrantes de fora e os profissionais locais e como isso se reverte em conhecimento para os farmacêuticos potiguares?

Drª Tereza: Primeiro, é preciso falar que tivemos a Dra. Antônia Cláudia Jácome da Câmara, da UFRN, que falou da Doença de Chagas e que propôs um tema que pouco se discute, mas que é de extrema relevância para nossa área. Depois, tivemos a participação de palestrantes de renome nacional que também trouxeram essa atualização e conscientização sobre a importância do farmacêutico nas Análises Clínicas. Assim, tivemos o professor dr. Marcos Kneip Fleury (RJ), uma autoridade na área de Hematologia, o que foi de extrema valia, principalmente para os que atuam no cotidiano do laboratório. Já o Dr. José Antônio Tesser Polonni (RS) palestrou sobre a parte de Uroanálises e esclareceu muitas dúvidas de alunos, agregando ainda mais conhecimento aos profissionais do estado. Na parte de Bioquímica, tivemos a professora drª Maurem Isfer Anghebem (PR), presidente da SBAC-PR, que integra um Grupo de Trabalho responsável por normatizar os padrões e valores de referência para os polêmicos exames sem jejum. Na ocasião, os participantes puderam dirimir dúvidas sobre essa questão atual e pertinente.

CRF-RN: Para a senhora, quais os maiores desafios dos farmacêuticos e bioquímicos que trabalham na área das análises clínicas aqui no RN? É possível elencá-los?

Drª Tereza: Os desafios são vários, até porque, agora, temos a concorrência direta e saudável com os biomédicos. A SBAC engloba tanto os farmacêuticos como os biomédicos, e o farmacêutico é o profissional mais bem formado também para atuar na área de Análises Clínicas, pois ele conhece o medicamento, as interações medicamentosas que podem comprometer os exames de laboratório, dentre outros . A realização da 3ª Jornada Norte-rio-grandense de Análises Clínicas também foi desafiadora e a grande participação dos profissionais é um reflexo dessa necessidade constante dos donos de laboratórios e demais de se atualizarem para serem competitivos. Os donos de laboratórios tem que, a cada dia, otimizar esses exames, facilitar a entrega dos resultados e controlar a qualidade para que haja uma credibilidade maior. Outro desafio é o preço baixo dos exames que não corresponde ao trabalho que se tem, mas com novos aparelhos e aumento da tecnologia essa realidade pode mudar, mas, pra isso, é preciso se atualizar. Então, os desafios são imensos.

CRF-RN: Diante desses desafios, qual a mensagem que a senhora, como presidente da SBAC RN, deixa para os profissionais do nosso estado?

Drª Tereza:  A mensagem é que eles amem cada vez mais as Análises Clínicas e zelem por fazê-la com qualidade. Dessa forma, o resultado é a crescente credibilidade por parte da população e, em consequência, valorização do profissional.